O óleo de cártamo traz inúmeras vantagens à saúde: além de favorecer a perda de peso, protege o coração e combate os radicais livres

 


FOTO E PRODUÇÃO: DIEGO ROUSSEAOUX

Originário da Índia, o cártamo (Chartamus tictorius) é uma espécie vegetal tão antiga quanto a própria humanidade e, não à toa, sua história acompanha a evolução dos homens. No passado, por exemplo, seu extrato era utilizado como corante de tecidos e de alimentos. Com o passar do tempo, este uso perdeu espaço e, só então, seu verdadeiro potencial foi descoberto; hoje, graças às suas propriedades nutricionais, o cártamo é peça chave na alimentação.

A ciência, evidentemente, foi a grande responsável por elevar a tal posto esta espécie tão comum que, a propósito, tem parentesco com o girassol (Helianthus annuus), a margarida (Chrysanthemum frutescens) e o açafrão (Curcuma longa). “Com o avanço dos estudos sobre as propriedades funcionais dos alimentos, os benefícios do cártamo foram encontrados, o que impulsionou a extração do óleo comestível”, explica a nutricionista Mariana Exel, do Hospital Samaritano, de São Paulo.

 

Aposte no óleo in natura
Retirado das sementes, o alimento é mesmo uma ótima pedida para quem busca saúde, já que proporciona incontáveis benefícios. Por conta disso, recentemente, o consumo de cápsulas à base deste óleo foi popularizado como maneira de suplementar a alimentação. O que pouca gente sabe é que, quando consumido in natura, o óleo de cártamo pode oferecer ainda mais vantagens, já que nestes casos sua composição sofre menos variações que nas versões encapsuladas. Além disso, utilizada para temperar saladas ou mesmo em substituição ao azeite de oliva e ao óleo de soja na preparação de pratos, a versão in natura tem tudo para agradar ao paladar de quem não abre mão do sabor. Que tal, então, descobrir alguns bons motivos para investir nesta deliciosa opção?

 

Alvo certo 

shutterstock
Flor de cártamo

O grande trunfo do óleo é a presença de ácidos graxos monoinsaturados e poli-insaturados em sua composição. Quase todos os efeitos benéficos que desempenha estão relacionados a essas “gorduras do bem” e, mais precisamente, aos ácidos oleico (ômega-9) e linoleico (ômega-6), que se tornaram famosos graças ao importante papel que desempenham no organismo, como reduzir as taxas de colesterol, de glicose e prevenir a hipertensão, por exemplo.

Porém, há um diferencial: cerca de 60% do ômega-6 presente neste óleo encontra-se na forma conjugada (conhecida como CLA), o que lhe confere propriedade termogênica. “Este possível efeito associado ao ácido linoleico conjugado está relacionado à expressão gênica das proteínas desacopladoras que, por sua vez, consomem estoques de energia e liberam calor”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez Duarte, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran). Em outras palavras, por conta do CLA, o consumo regular do alimento melhora o metabolismo de gorduras, auxiliando no processo de emagrecimento.

 

Dicas de consumo

  • Evite submeter o alimento a altas temperaturas. Assim como qualquer óleo de origem vegetal, quando exposto a estas condições, perde parte de suas propriedades nutricionais.
  • Para fazer a suplementação a partir das cápsulas de óleo de cártamo, procure orientação médica. Na hora de adquirir o produto, dê preferência aos que vêm com certificado de qualidade na embalagem.
  • Sempre que quiser, substitua o óleo de soja e o azeite de oliva pelo óleo de cártamo, seja no cozimento de alimentos ou no preparo de saladas. Ele também é boa opção em substituição à margarina em receitas de bolos e tortas.

Fonte: Mariana Exel, nutricionista do Hospital Samaritano, de São Paulo

 

 

Amigo do peito
Pesquisas realizadas ao redor do mundo apontam que a ingestão do óleo de cártamo pode reduzir os níveis de triglicerídeos e de colesterol ruim (LDL), bem como aumentar a taxa de oxidação lipídica. Isso significa que o alimento é capaz de dar aquela força ao sistema cardiovascular e, de quebra, diminuir os depósitos adiposos (ou seja, de gorduras) no organismo. “Os principais benefícios do óleo estão relacionados à diminuição da síntese e estocagem de gordura e ao aumento do catabolismo de ácidos graxos, o que pode contribuir para a redução dos percentuais de gordura corporal”, reforça a nutricionista Franciele Lenz, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP).

Este efeito também foi analisado e atestado por cientistas da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos. Segundo eles, o consumo diário de duas colheres das de sopa do óleo ajuda a minimizar os índices de gordura abdominal, principalmente em mulheres. Isso acontece porque o óleo de cártamo aumenta a produção do hormônio adiponectina (as mulheres têm níveis superiores deste hormônio em comparação aos homens), substância capaz de estimular o organismo a utilizar a gordura localizada como principal fonte de energia.

 

Concentração total
Em cada colher (sopa) de óleo de cártamo, você encontra...

Gorduras totais

71,1 g

Valor energético

64,8 kcal

Gorduras poli-insaturadas (ômega-6)

5,6 g

Gorduras monoinsaturadas (ômega-9)

1,1 g
Gorduras saturadas 0,38 g

Fonte: Franciele Lenz, nutricionista da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP)

 

Mitos e verdades
Embora os ácidos graxos tenham destaque na composição do óleo de cártamo, há ainda outros nutrientes importantes que merecem atenção; a presença de vitamina E e de flavonoides garante a ação antioxidante do alimento que, quando consumido com regularidade, protege as células do corpo e inibe a proliferação dos radicais livres, o que retarda o envelhecimento e o desenvolvimento de doenças crônicas.

Entretanto, é bom respeitar a indicação de consumo diário (de 1 a 2 colheres das de sopa), já que doses excessivas de ômega-6 podem causar problemas como “aumento da resistência à insulina, da taxa de glicose e redução dos níveis do bom colesterol (HDL), predispondo a doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes”, alerta Franciele Lenz. Tomada esta precaução, pode-se tirar o máximo de proveito da presença deste ácido graxo, que também tem sido relacionado a outros benefícios, como prevenção de doenças neurológicas e do sistema nervoso e blindagem do sistema imunológico.

 

Salada colorida com óleo de cártamo

Ingredientes
1 couve-flor
1 cenoura raladashutterstock
½ beterraba
4 tomates cereja
Suco de 1 limão
2 colheres (sopa) de óleo de cártamo
Agrião cortado, nozes, salsinha picada e sal a gosto

Preparo
Lave bem todos os vegetais e coloque-os em uma tigela funda. Tempere com o molho feito a partir da mistura do sal, salsinha, suco de limão e óleo de cártamo. Se preferir, deixe a salada por 15 minutos na geladeira para que o molho penetre mais. Retire da geladeira, salpique as nozes e está pronto para servir.

Rendimento
2 porções

 

 

 

Ratatouille de forno regado a óleo de cártamo

Ingredientes
1 berinjela
1 abobrinha amarela
1 pimentão vermelho
1 cebola
2 dentes de alho
4 tomates maduros
4 colheres (sopa) de óleo de cártamo
1 colher (café) de mel
Suco de 1 limão
Ervas aromáticas frescas (tomilho, orégano, salsa, manjerona)
Sal e queijo ralado a gosto

Preparo
Corte a berinjela, a abobrinha e o pimentão vermelho em rodelas pequenas. Polvilhe-os com sal e reserve. Regue a berinjela com suco de limão para evitar o seu escurecimento. Em seguida, prepare o restante dos vegetais: corte a cebola em meias-luas e lamine os alhos. Pique os tomates. Faça um refogado utilizando duas colheres (sopa) do óleo de cártamo, a cebola e o alho. Quando a cebola começar a dourar, junte o tomate, adicione as ervas, despeje um pouco de água e deixe refogar. Quando o refogado estiver pronto, coloque em um copo e triture. Junte o mel e volte a triturar. Deite a mistura em um tabuleiro de forno previamente untado. A mistura servirá de cama aos legumes. Monte o prato alternando as fatias dos legumes. Termine com um fio de óleo de cártamo sobre cada fileira de legumes. Leve ao fogo médio durante 60 minutos. Quando faltarem 10 minutos para retirar do forno, polvilhe o ratatouille com queijo ralado e deixe derreter.

Rendimento
6 a 7 porções

 

 

 

 

Bolo-torta de banana

Ingredientes
4 bananas
3 ovos
¾ de xícara (chá) de óleo de cártamo
1 colher (sopa) de
fermento biológico
1 e ½ xícara (chá) de
açúcar demerara
Sementes de linhaça ou gergelim
a gosto

Preparo
Junte os ingredientes, menos as sementes de linhaçã ou gergelim, e bata no liquidificador – acrescente o fermento por último. Despeje em uma forma retangular média untada e polvilhe com linhaça ou gergelim. Asse em forno a 180º C por cerca de 40 minutos. Sirva.

Rendimento
10 a 12 porções


Fonte das receitas: Franciele Lenz, nutricionista da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP)